Estacionamento


Projeto de Gerenciamento de Riscos:


Através da experiência de centenas de estacionamentos segurados e diversos anos de análise dos riscos, desenvolvemos um Projeto de Gerenciamento que visa diminuir os mesmos nos estacionamentos.
Mais de 60% dos assaltos ocorridos nos nossos estacionamentos segurados ocorrem em pernoites ou em estacionamentos que permanecem com as chaves dos veículos (vide descrição anexa).

Sugestão de modelo para
quadro de chaves de baixo risco

CHAVES DOS VEÍCULOS Os maiores assaltos em estacionamentos ocorrem naqueles que permanecem com as chaves dos veículos. Existem inclusive quadrilhas especializadas em assaltos a estacionamentos que ficam com as chaves dos carros. Estes ladrões ao entrar em um estacionamento vão ao quadro de chaves e escolhem os veículos que serão roubados.
Estes ladrões inclusive chamam os estacionamentos de “shopping center de veículos” onde basta ir para a vitrine (veículo ou quadro de chaves a mostra) e escolher os veículos. Nunca um veículo é estacionado na rua aberto ou com a chave a mostra, fato este bastante comum em estacionamentos.
Portanto a situação ideal é o estacionamento não permanecer com as chaves dos veículos. Ressaltamos que embora o estacionamento possua seguro o mesmo está limitado ao valor da importância segurada e em todos os sinistros o estacionamento participa do prejuízo com o pagamento da franquia.
Naqueles estacionamentos que tenham que necessariamente permanecer com as chaves dos veículos, sugerimos dificultar a ação dos ladrões.

PERNOITES: Estacionamentos que trabalham com pernoites são aqueles que aceitam clientes eventuais (horistas) quando o portão do estacionamento já está fechado (normalmente a partir das 21:00 horas).
Fazendo um paralelo, um cofre de um banco pode ter, por exemplo, R$ 500.000,00 em espécie no seu interior. Um estacionamento que tenha 50 veículos com valor médio de R$ 25.000,00, possui um patrimônio de terceiros de R$ 1.250.000,00 sob sua responsabilidade, que embora não seja patrimônio em espécie pode ser rapidamente transformado em dinheiro.
Para um ladrão chegar até um cofre do banco existe um grande número de obstáculos que visam proteger o patrimônio guardado. Os estacionamentos que trabalham com pernoites muitas vezes abrem a “porta do cofre” (o portão do estacionamento) expondo diversos veículos a uma pessoa desconhecida.

Itens não cobertos pelo seguro:
Além do risco de um roubo total de um veículo (aquele veículo que saiu do estacionamento), o assalto provocado por pernoites normalmente ocasiona grandes prejuízos que não estão cobertos pelo seguro como, por exemplo, itens que não são de série dos veículos (CD, rodas, equipamentos de som), além de objetos e valores dos próprios clientes, (ressaltamos que a apólice de seguro negociada com a Clamer Seguros é a que possui a maior amplitude de cobertura do mercado).
Destacamos que estes itens apesar de não estarem cobertos por nenhuma apólice de Responsabilidade Civil Garagista emitida no Brasil são de responsabilidade do estacionamento e conseqüentemente estes são obrigados a ressarcir estes prejuízos. Vide reportagem anexa sobre o roubo de 03 veículos do estacionamento e roubo de diversas rodas de outros veículos estacionados.
Podemos concluir, matematicamente, que o risco de aceitação de pernoites não compensa o risco exposto. Os estacionamentos que aceitam pernoites possuem uma taxa de seguro mais elevada e um percentual maior de participação obrigatória no sinistro.
Conforme declaração de um proprietário de estacionamento assaltado em um pernoite “no clima de guerra civil que vivemos, não existe mais espaço para expor patrimônios milionários a pessoas estranhas que podem ser ladrões disfarçados de clientes. Quando abrimos o 1º estacionamento, a mais de 15 anos atrás, as residências não eram cercadas por grades e cercas elétricas e conseqüentemente não existia risco maior de recebermos clientes eventuais a qualquer hora da noite. Infelizmente esta realidade não existe mais.” (SIC).